Entenda as 7 principais características dos condomínios inteligentes
Gestão de Empresas

Entenda as 7 principais características dos condomínios inteligentes

Escrito por Leucotron

Os condomínios inteligentes, sejam eles residenciais ou empresariais, estão ganhando cada vez mais espaço no Brasil e no mundo. Eles são a solução mais eficaz para quem procura praticidade, segurança e economia.

Para garantir todas essas facilidades os condomínios inteligentes utilizam muitos recursos tecnológicos, desde o ambiente da portaria até a identificação de situações adversas dentro do condomínio. Quer entender melhor esse conceito e as vantagens desse modelo? Veja!

O que são condomínios inteligentes?

Esse tipo de empreendimento já é planejado para ser inteligente e prático desde o início de sua construção. Ao desenvolver o projeto de arquitetura, podem ser utilizados materiais sustentáveis.

Além disso, muitas vezes é dada uma maior atenção à posição solar do terreno a fim de proporcionar um melhor aproveitamento da luz natural, instalar recursos para reaproveitar a água da chuva e facilitar a captação de energia solar.

O condomínio inteligente também é projetado para atender às necessidades atuais dos moradores ou trabalhadores. Por exemplo: ele já deve prever a instalação de rede de fibra óptica para acesso à internet de alta velocidade e facilitar o uso de tecnologias que garantem mais segurança e conforto aos usuários.

Em longo prazo, esse tipo de construção facilita muito o dia a dia dos moradores que podem contar com recursos de vigilância, portaria remota e novas soluções que surgem a todo momento.

Quais as características dos condomínios inteligentes?

Esses empreendimentos são construídos pensando na segurança dos moradores ou dos funcionários e com o intuito de oferecer mais facilidade e praticidade para a rotina de todos. Por isso, eles possuem algumas características específicas:

1. Identificação biométrica

A biometria pode ser utilizada para liberar o acesso dos moradores ao prédio. A forma mais popular é por meio da leitura da impressão digital, mas também existem soluções que fazem a leitura da retina e da íris.

Sendo assim, só terá acesso ao edifício o morador (ou funcionário) cadastrado no sistema. Ou seja, mesmo que um estranho ou parente tente acessar o condomínio ele será barrado. Caberá ao proprietário do imóvel liberar o acesso de outras pessoas.

Portanto, esse é um modelo seguro utilizado nos condomínios inteligentes, pois é muito mais difícil copiar uma digital do que descobrir uma senha numérica. Para complementar, esse tipo de solução ainda possibilita controlar o acesso de funcionários ao condomínio.

Por exemplo: todos os funcionários precisarão cadastrar a digital ou a íris. Se uma zeladora for demitida ou se ela pedir para sair, por exemplo, basta desfazer o cadastro dela. Isso evita a cópia de chaves, senhas ou cartões de acesso.

2. Interfones com atendimento remoto

As soluções tecnológicas também possibilitam reduzir os custos de chamadas telefônicas e dar mais rapidez ao contato entre moradores e visitantes. Os interfones virtuais, por exemplo, possibilitam a gravação de chamadas realizadas no interfone do prédio. Eles ainda registram o horário, data e duração da comunicação.

Como funciona o terminal virtual? É necessário cadastrar os moradores em uma central. Quando alguém realizar uma ligação ela será direcionada automaticamente para um sistema PABX. E, em seguida, o morador recebe a chamada diretamente em seu celular.

Sendo assim, mesmo que o morador não esteja na residência ele poderá atender uma chamada realizada diretamente para seu apartamento. Assim, ele já resolverá a situação rapidamente e evitará longas esperas na entrada do condomínio.

3. Porteiros eletrônicos

Esse tipo de tecnologia utiliza áudio e vídeo para monitorar o acesso de pessoas em condomínios residenciais ou comerciais. Isso evita a contratação de funcionários para controlar a entrada de veículos no prédio, o que reduz os custos com pagamento de salário, FGTS e INSS.

Além disso, evita que os porteiros noturnos durm=am durante o expediente e, com isso, percam o controle do acesso de pessoas no condomínio.

Como funciona o porteiro eletrônico? Existe uma central externa que faz o monitoramento do acesso de pessoas. Isso também permite acionar a polícia caso ocorra alguma emergência. Ou seja, evita até mesmo o risco à vida das pessoas.

Para tanto, é essencial contar com uma rede de internet de qualidade e geradores ou sistema de nobreak para garantir o funcionamento da tecnologia em caso de falta de luz.

4. Monitoramento de segurança

Os condomínios também costumam apresentar sistemas de inteligência baseados na análise das imagens das câmeras de monitoramento. Nesses casos, são avaliados os parâmetros indicados pelos moradores e, caso haja alguma irregularidade, é acionado um alerta para o profissional responsável por monitorar a segurança do edifício.

Com isso, ele poderá fazer uma análise mais detalhada e acionar as autoridades em casos de necessidade. Em outras situações, o condomínio pode adotar o monitoramento por meio do uso de drones com câmeras de segurança com visão diurna e noturna. Dessa maneira, é possível monitorar a movimentação do edifício em longas distâncias, sem gerar suspeitas.

5. Automação e redução no custo da energia

As construções modernas também possibilitam a instalação de sensores automáticos de iluminação nas áreas comuns. Dessa maneira, as lâmpadas só acendem quando algum morador está presente no local, o que evita o desperdício de energia elétrica.

Somado a isso, muitas construções já possuem sistemas fotovoltaicos para captação da energia solar e utilização dela nas áreas comuns, o que reduz custos e favorece o meio ambiente. Para complementar, também é possível utilizar elevadores ecoeficientes, modelos que geram energia enquanto o equipamento se movimenta.

6. Botão de pânico

Esse modelo já é utilizado com idosos que possuem alguma dificuldade de locomoção. Assim, eles podem acionar ajuda, caso sofram algum acidente dentro de casa. Porém, o botão de pânico também pode ser utilizado em condomínios inteligentes.

Essa é uma maneira de solicitar ajuda da empresa de segurança se houver algum problema no edifício. Em alguns casos, é criado um dedo de pânico no sistema de biometria para que o morador peça apoio sem levantar suspeitas.

7. Agendamentos eletrônicos das áreas comuns

Algumas ferramentas do mercado também possibilitam que os moradores façam a gestão das áreas comuns de maneira online. Com isso, é possível consultar a agenda do salão de festas, reservar a data de utilização e garantir que os convidados sejam recepcionados da melhor maneira.

Há ainda outras soluções que permitem a criação de salas de conferência para realização de reuniões. Com isso, fica muito mais fácil realizar assembleias online ou fazer reuniões rápidas para resolver pequenos conflitos no condomínio.

Enfim, os condomínios inteligentes utilizam tecnologia de ponta para que os moradores e funcionários tenham mais segurança, praticidade e tranquilidade no dia a dia. Gostou dessas possibilidades? Aproveite para conhecer como funciona um sistema PABX!

Deixar comentário.

Share This