Lei Geral de Proteção de Dados

Lei Geral de Proteção de Dados: como o time de TI deve se preparar para ela?

Sua empresa está preparada para aderir à nova Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD? Não há dúvidas de que a tecnologia tem provocado mudanças em tudo o que está à nossa volta. Diante dessa realidade, as empresas têm percebido a necessidade de mudar sua forma de fazer negócio.

Atualmente, com a consolidação das estratégias de marketing digital, que busca desenvolver campanhas para um público cada vez mais fragmentado, as informações referentes ao público-alvo se tornaram uma ferramenta valiosa para as empresas. Afinal, quanto mais detalhes tiver, melhor.

No entanto, existe o outro lado da moeda! Devido ao fácil acesso às informações dos clientes, ocorreram muitos casos de vazamentos e uso inadequado desses dados sem o devido consentimento. Em razão disso, em 2018 foi aprovada a nova Lei de Proteção de Dados, que visa garantir ao usuário maior proteção dos seus dados pessoais.

Tendo em vista que a LGPD entra em vigor a partir de fevereiro de 2020, preparamos este artigo para explicar para você as principais informações sobre essa nova lei. Acompanhe a leitura!

Qual o objetivo da nova Lei de Proteção de Dados?

A nova Lei de Proteção de Dados foi criada com base na legislação europeia, a General Data Protection (GDPR), que entrou em vigor em 2018. As diretrizes de privatização impostas pela GDPR foram criadas de acordo com os direitos fundamentais de privacidade e liberdade individual, tendo como punição o recebimento de multas.

Diante disso, o principal objetivo da LGPD é estabelecer normas mais rígidas que vão garantir para os clientes a proteção dos dados coletados. Para isso, visa promover mudanças na forma como tais dados serão armazenados e compartilhados, determinando, assim, em quais situações essas condições serão permitidas.

Quais os impactos da LGPD para as empresas?

Com a implementação da LGPD, muitas empresas, principalmente aquelas que trabalham diretamente com a coleta de dados de clientes, terão que mudar a maneira como lidam com essas informações. Além de atender às condições impostas pela lei, o empreendedor precisa estar ciente de que a partir do ano de 2020 o usuário terá o direito de cancelar o compartilhamento dos seus dados a qualquer momento.

Diante dessa nova realidade, ter o controle de todos os dados que circulam pela empresa será de suma importância, visto que a maior parte dessas informações será de caráter confidencial.

Como solução para lidar da melhor forma com esse novo processo, é ideal que o gestor disponha de uma gestão de dados eficiente. Para isso, vale fazer uso de ferramentas tecnológicas, a fim de agrupar todas as informações coletadas em um único sistema e, assim, facilitar a administração dessas informações.

Sendo assim, é possível perceber que os impactos provocados pela LGPD serão diversos. Veja os principais!

Abrangência da lei

A LGPD será válida para todas as empresas que coletam algum tipo de informação considerada pessoal (ou que torna uma pessoa identificável) em território brasileiro.

Necessidade de dispor de uma base para tratar os dados

Para que o tratamento dos dados seja feito de forma correta, a empresa precisará dispor de uma base legal com o consentimento de todos os usuários.

Maiores direitos dos titulares

Por meio da LGPD, as pessoas terão maior controle sobre suas informações e como elas serão procedidas. Ou seja, o usuário passa a ter o direito de decidir quando compartilhar seus dados ou solicitar o cancelamento.

Gestão financeira

Sim! A LGPD pode causar efeitos na gestão financeira da empresa, uma vez que será necessário se reformular para cumprir com as novas exigências. No entanto, o maior impacto pode ser visto em casos de negligência, no qual a empresa será punida por meio de multas.

Autoridade regulatória

Com a implementação da LGPD, uma nova autoridade será criada para fiscalizar se as empresas estão realmente de acordo com a nova lei.

Como a minha empresa deve se preparar para a LGPD?

Faltando menos de três meses para que a LGPD entre em vigor, o cenário nacional de preparação não está de acordo com as expectativas. Isso porque 85% das empresas brasileiras alegam não estar preparadas para aderir a essa nova mudança.

São muitos os motivos que justificam essa porcentagem, entre eles a carência de informações sobre o assunto e a falta de um profissional responsável pela supervisão e proteção dos dados.

Sendo assim, para que sua empresa não faça parte dessa estatística é preciso, primeiramente, conhecer bem as diretrizes impostas pela LGPD para, em seguida, buscar formas para se preparar para sua implementação. Veja agora como a empresa pode se preparar para a LGPD!

Conheça os dados

A Lei Geral de Proteção de Dados infere o tratamento de dados pessoais e sensíveis. Ao se fazê-lo de maneira irregular, haverá a possibilidade de bloqueio ou até mesmo eliminação, bem como a atividade relacionada à empresa ser suspensa. Para evitar essa situação, formule um mapa visual de todos os dados coletados por sua empresa para facilitar o controle das informações dos usuários.

Gerencie as informações

É necessário também identificar quais os colaboradores que têm acesso às informações e como elas estão sendo utilizadas. Além disso, faça a restrição para que os funcionários acessem os dados apenas nos momentos em que necessitem dos conteúdos para executar suas funções.

Utilize as medidas de segurança corretas

Para que a empresa possa estar em conformidade com a lei, ela precisa ter as medidas de segurança corretas, como é o caso do uso de criptografia, programas de intervenção ágeis em casos de violação, monitoramento e diligência constantes etc. Vale também investir na educação interna de modo a reforçar o controle de acesso e soluções de backups.

Documente os dados coletados

Os usuários passam a ter maior autonomia para acessar e editar os seus dados. Por isso, as empresas devem documentar e passar por auditorias a fim de garantir que as informações armazenadas estão sendo utilizadas de forma correta.

Essas são as principais informações sobre a Lei Geral de Proteção de Dados e como a sua empresa junto ao time de TI deve se preparar para ela. Dessa forma, percebe-se que para não correr o risco de cometer nenhuma infração, a empresa deve se atualizar a respeito das suas responsabilidades com relação à privacidade e proteção de dados.

Gostou do artigo e quer ter acesso a mais conteúdos como este? Então, siga-nos nas redes sociais! Estamos no Facebook, Twitter, LinkedIn e YouTube.

Quer saber mais sobre o mundo da telefonia?

Receba os melhores conteúdos produzidos para você gratuitamente.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Share This