10 dicas para um bom relacionamento com a comunidade escolar
Gestão de Empresas

10 dicas para um bom relacionamento com a comunidade escolar

Escrito por Leucotron

Muito se fala sobre a importância de manter um bom relacionamento entre escola e todos os públicos que interagem com ela, mas você sabe exatamente o que é comunidade escolar e por que é tão importante desenvolver uma relação sólida com ela?

Em linhas gerais, a comunidade escolar é composta por pais, alunos e professores. Um bom relacionamento entre esses públicos é essencial para o amplo desempenho dos processos educacionais. Quando há entendimento entre esses três grupos, os objetivos pedagógicos e sociais são construídos em conjunto, de modo colaborativo e eficiente.

No entanto, para estimular o bom relacionamento, algumas medidas podem ser realizadas trazendo grandes melhorias nesse quesito. É preciso, por exemplo, disponibilizar canais de comunicação satisfatórios, criar meios de integrar os familiares na rotina e estar aberto às necessidades trazidas pela comunidade.

Outras dicas para melhorar a comunicação nesse meio e estreitar o relacionamento entre esses públicos estão fornecer feedbacks com regularidade, promover momentos de interação e divulgar resultados.

Quando há uma boa interação entre a comunidade escolar, há também uma consequente melhora nos níveis de satisfação dos pais e nas ações dos alunos, em que cada parte consegue contribuir com o seu melhor para a evolução conjunta dos processos da instituição.

Para saber quais são princípios que devem ser adotados e como implantar meios de melhorar a relação entre a comunidade da escola, acompanhe essas dicas. Saiba por que a sua escola não pode perder os benefícios obtidos pelos relacionamentos sólidos na escola!

1. O diálogo no relacionamento entre a comunidade escolar

De modo constante, o diálogo deve ser estimulado por meio de reuniões presenciais para auxílio do acompanhamento escolar dos alunos. Não basta somente informar: é preciso escutar o que a classe dos pais tem a dizer, possibilitando abertura para compreensão das principais necessidades e dúvidas.

Além das reuniões coletivas, geralmente propostas semestralmente, a escola também pode proporcionar reuniões extras para tratar de assuntos específicos como: mudanças na linha pedagógica, adição de atividades extracurriculares, entre outras coisas. O importante é fazer das reuniões verdadeiros lugares de debate, trazendo questões interessantes e possibilidades reais de troca com os pais.

Os encontros individuais também devem ser marcados, principalmente quando se trata de um aluno que precisa de um acompanhamento mais próximo. Muitas vezes, um estudante reflete uma situação vivida em casa, apresentando queda de desempenho ou desatenção. Tudo isso pode ser contornado por meio da comunicação direta e acolhedora por parte da escola.

2. Tecnologias a favor da comunicação

Softwares e aplicativos elaborados especificamente para escolas são ferramentas que servem para otimizar a comunicação entre pais, professores e alunos. De modo prático e objetivo, os programas disponibilizam informações sobre o desempenho escolar, tais como notas, presença e rendimento individual.

Os programas online são adotados pela maioria das instituições, apresentando uma maneira dinâmica de troca de dados. A maioria pode ser acessado mesmo do smartphone, proporcionando que os pais, mesmo com a rotina agitada, consigam estar presente na vida dos filhos.

Esses canais possibilitam também que todos tenham acesso à grade curricular desenvolvida pela escola. Alguns desses aplicativos têm fórum e chats, meios que possibilitam um diálogo continuado para além das reuniões presenciais, feito de modo facilitado.

Os programas podem servir, ainda, para veicular imagens de atividades realizadas pela escola, registrar reclamações e integrar o conteúdo do Facebook da instituição, hoje em dia muito usado para experimentar um pouco do dia a dia interno.

3. O conhecimento da rotina

Ao aproximar os pais da instituição, é preciso mapear como funciona a rotina de cada família, entendendo quais são as suas origens, as suas crenças e, principalmente, quais são as suas expectativas com relação à educação dos filhos.

A tolerância e o respeito deve ser estimulado por meio, em primeiro lugar, da boa recepção da escola aos pais e alunos, independentemente de sua cultura. O bom acolhimento das famílias serve de exemplo a toda a comunidade e, inclusive, aos alunos, que são estimulados com uma boa convivência dentro de sala de aula.

Conhecendo melhor o funcionamento da rotina, a troca se torna mais rica e abrangente, podendo a escola se posicionar e atender melhor às necessidades do aluno dentro da instituição. Fica mais fácil também realizar o agendamento de reuniões e saber em quais atividades os pais poderão se tornar mais interativos.

4. Eventos que integram a comunidade escolar

Festas e eventos em geral são uma ótima oportunidade de socialização, qualquer que seja o motivo. No caso de instituições escolares, elas se mostram um campo eficiente de troca, uma vez que o ambiente informal impulsiona as relações de outro modo, mais afetiva e menos burocrática.

A interação dos pais e familiares nos eventos da escola tem sido um dos mais bem-sucedidos meios para construção dos laços. Em vez de um ambiente de cobranças e de medição de desempenhos, a instituição oferece uma forma leve e divertida de trazer a família para participar da escola.

Extensões dos eventos podem servir para integrar ainda mais aqueles que têm interesse e disponibilidade. A instituição pode oferecer, por exemplo, a chance de os pais ajudarem na organização, na preparação ou na decoração de festas e eventos dentro da escola.

Estar ciente da profissão dos pais também é outra forma de propor convites para a interação. Caso algum deles mostre interesse em contribuir de alguma forma com a escola, a instituição deve estar preparada para construir esta ponte.

5. O acompanhamento extraclasse

A escola, embora seja muito importante na formação da identidade e na personalidade dos alunos, é uma complementação de toda a educação que vem dos pais, familiares e amigos de sua convivência íntima. Por isso, para que a semente plantada durante os cursos floresça, é preciso que o acompanhamento em casa seja próximo e constante.

No entanto, nem todos os pais se sentem aptos ou disponíveis a acompanhar as lições de casa e as pesquisas. Alguns têm medo por não conhecerem as matérias. Outros, por falta de tempo, não conseguem estar próximos dos filhos nesse momento. A instituição escolar pode e deve estimular o contato, como parte essencial para o bom desenvolvimento do aluno.

Guia completo para otimizar a comunicação em escritório de advocaciaPowered by Rock Convert

Por meio das plataformas onlines e reuniões, como já mencionadas, é possível demonstrar aos pais a importância de um acompanhamento mais rigoroso ou mais estimulante, trazendo o aluno cada vez mais para o conteúdo e a necessidade escolar.

O relacionamento entre a comunidade escolar deve ser compreendido e estimulado de todos os lados. A escola deve lançar mão de todas as ferramentas ao seu alcance para crescer as interações e poder aproveitar de todo o poder transformador da escola.

6. Feedbacks regulares

Outro ponto importante para fortalecer o relacionamento entre escola e pais é o oferecimento de feedbacks regulares sobre o desempenho acadêmico e comportamental dos alunos. É importante ir além de aspectos como notas e faltas. O essencial é oferecer para os responsáveis uma visão completa da evolução do aluno.

Apesar da importância de mostrar o crescimento da criança e do adolescente, muitas instituições de ensino têm foco apenas em números, esquecendo de detalhar para os pais como os filhos se desenvolveram na escola e em determinadas matérias.

Uma excelente forma de fornecer feedbacks regulares para os responsáveis é enviar, periodicamente, o resultado das produções da turma e, também, da criança. Assim, eles têm como comparar o desempenho do seu filho com o dos colegas e alcançam uma visão mais global de como o aluno está se desenvolvendo.

Ao investir em atendimento e fornecer feedback para os pais, é importante que a escola oriente e estimule o acompanhamento dos estudos em casa — assim, ficará mais fácil para os pequenos manterem ou alcançarem boas notas.

7. Promoção de momentos de interação

Muitos gestores escolares acreditam que a sua obrigação é apenas com os seus alunos. Essa postura, além de arrogante, afasta os pais da instituição de ensino, que perde grandes aliados no desenvolvimento de seus alunos.

Para melhorar o relacionamento entre a comunidade escolar, é essencial assumir uma postura diferente, envolvendo os responsáveis nas programações pedagógicas. Esse cuidado estimula a família a se envolver e passar a trabalhar em prol dos objetivos educacionais. Saem todos ganhando: a escola, que garante o alinhamento com as suas propostas também em casa, e os alunos, que se sentem mais seguros ao perceber que os seus pais estão envolvidos na sua vida acadêmica.

Promover momentos de interação é importante para o bom relacionamento. No entanto, é preciso considerar que as rotinas das famílias estão cada vez mais corridas. Por isso, é importante planejar os eventos de forma que caibam na agenda de crianças e pais. Uma forma de fazer isso é com a realização de pesquisas sobre os perfis dos responsáveis e de consultas com a comunidade sobre as atividades mais adequadas para o dia a dia deles.

O que funciona para certos perfis de pais pode não funcionar para outros. Entre as opções de interação possíveis, estão encontros, palestras ou eventos beneficentes. Feiras literárias e de sustentabilidade, por exemplo, também são opções possíveis para unir toda a comunidade escolar.

8. Disponibilização do trio gestor da escola

Formado por diretor, coordenador pedagógico e supervisor, o trio gestor da escola deve estar disponível para os pais, sempre que possível, para, assim, estreitar o relacionamento escola e família.

Responsável por liderar a gestão pedagógica e administrativa da instituição de ensino, o diretor pode ajudar os pais a entender tanto aspectos educacionais, de sala de aula, quanto processos burocráticos relacionados ao dia a dia da instituição de ensino, como pagamentos. Já o coordenador pedagógico é a figura que define planos e métodos de ensino. Por isso, ele pode responder aos pais sobre aspectos relacionados ao corpo docente da escola.

Por fim, o supervisor, que atua na avaliação e na orientação do time da instituição de ensino, pode colaborar em questões que envolvem diretrizes educacionais, por estar ligado às Secretarias de Educação.

É importante que esses profissionais abram espaço em suas agendas para receber pais, porque há questões que não podem ser resolvidas por professores, por exemplo. Uma forma de inserir essa interação na rotina é com a promoção de encontros periódicos e a disponibilização de canais de comunicação, como e-mail, telefone e WhatsApp, para que os pais possam entrar em contato com os profissionais sempre que necessário.

Outro cuidado é garantir que os pais saibam exatamente quem exerce qual papel na escola para recorrerem à pessoa certa sempre que necessário. Essa atenção certamente se refletirá no desempenho acadêmico de crianças e adolescentes.

9. Divulgação de resultados

Dar feedbacks regulares aos pais sobre o desempenho acadêmico dos filhos de uma forma geral é importante, mas é preciso, também, não esquecer de divulgar os resultados do plano de ensino proposto pela instituição. Se, antes, só era possível ter acesso a essas informações com uma ida à escola, hoje, com a ajuda da tecnologia, o cenário é bem diferente.

É possível informar aos responsáveis sobre o andamento do plano de ensino por meio de ferramentas como um portal voltado exclusivamente para os pais. Mesmo recursos mais simples podem ser usados para manter essa comunicação, como e-mail marketing, newsletters e grupos fechados em redes sociais.

Independentemente da ferramenta escolhida, é essencial criar o hábito de divulgar resultados e mostrar para os responsáveis os motivos pelos quais a escola é a melhor escolha para os seus filhos. Crie uma relação de confiança.

10. Estruturação de planos de comunicação

Ter planos de comunicação eficazes, tanto no ambiente externo quanto interno, é outro passo importante para manter um relacionamento estreito entre a comunidade escolar. Afinal, de nada adianta a instituição de ensino ter iniciativas incríveis se ninguém souber que elas existem.

Aposte em ferramentas de comunicação interna para se certificar que todos sabem o que acontece na escola. Além disso, investir em recursos como assessoria de imprensa é outra maneira de impulsionar a comunicação externa e, não só melhorar a imagem da instituição de ensino, como aumentar as chances de conquistar novos alunos para a escola.

Crie um calendário de comunicação com os principais eventos do ano letivo e certifique-se que eles estão sendo devidamente divulgados.

Agora que você já sabe o que é comunidade escolar e como estabelecer um bom relacionamento com ela, comece já a colocar nossas dicas em prática. Você não tardará a ver os resultados!

Gostou deste conteúdo? Não deixe de ler também sobre como melhorar o relacionamento entre pais e escola em 7 passos!

Powered by Rock Convert

Deixar comentário.

Share This
LIGAR ONLINE