Transformação digital na saúde: como está ocorrendo e como se preparar?
Gestão de Empresas Saúde Transformação Digital

Transformação digital na saúde: como está ocorrendo e como se preparar?

Escrito por Leucotron

A tecnologia já faz parte do cotidiano das pessoas, mas como a transformação digital na saúde influenciará os procedimentos médicos? Novas práticas serão adotadas pelos profissionais, que terão acesso a dados que vão contribuir com o diagnóstico precoce de doenças.

Alguns hospitais de grande porte já começaram a adotar a tecnologia na realização de cirurgias, e estudam a possibilidade de investir ainda mais nessa questão. Quer entender como a saúde vai andar lado a lado com as soluções digitais? Acompanhe!

Por que ficar atento ao uso da tecnologia?

A tecnologia já faz parte de muitas atividades, como setores contábeis, jurídicos e marketing. Ela também vai começar a integrar ainda mais a vida particular das pessoas. Exemplo disso é a criação do robô companheiro para crianças e idosos.

Então, é possível perceber que a tecnologia estará cada vez mais presente na vida das pessoas e nas profissões. Não dá mais para fechar os olhos diante do início da transformação digital na saúde, sob o risco de você ficar desatualizado sobre as novas práticas da medicina.

Não vai demorar muito para robôs e plataformas começarem a integrar o dia a dia de médicos e enfermeiros, seja para monitorar um paciente à distância ou aumentar a precisão de procedimentos.

Cabe ao profissional da saúde ficar atento a essa revolução na área, estudar os novos procedimentos e entender como a tecnologia poderá proporcionar mudanças positivas para o setor.

Quais são os resultados de buscar a transformação digital na saúde?

A tecnologia revolucionará o relacionamento entre médicos e pacientes e contribuirá para a prevenção e o tratamento de doenças. Conheça alguns exemplos disso a seguir:

Telemedicina

Ela trará mais agilidade nas avaliações e emissões de laudos. A telemedicina possibilitará que os médicos troquem informações entre si e à distância, pois os exames estarão disponíveis para acesso online. Assim, será possível dar uma assistência ao paciente de maneira remota. Veja algumas aplicações:

  • videoconferências;
  • tele assistências;
  • emissão de laudos;
  • cirurgias com auxílio de robôs.

Esse modelo de tecnologia já começou a ser aplicado em grandes hospitais brasileiros. O Sírio Libanês, por exemplo, utiliza robôs cirúrgicos em dois momentos. Um faz a simulação antes da cirurgia, a fim de assegurar o máximo de precisão no procedimento, e o outro auxilia na operação.

O robô do hospital tem quatro braços para garantir toda a eficiência necessária durante a operação. Um braço segura a câmera e os outros três são usados para segurar instrumentos como pinças e bisturis.

Todo o procedimento é guiado por imagens, pois uma câmera é introduzida no corpo do paciente. Assim, o médico consegue realizar a cirurgia por uma mesa de controle, enquanto o robô faz o procedimento no paciente.

Tratamentos com mais eficiência

A tecnologia trouxe avanços para o tratamento de doenças como Alzheimer e Parkinson. No Hospital do Coração, por exemplo, é usado o Gamma Knife para preservar órgãos sadios e cuidar dos pacientes que apresentam esse diagnóstico.

A instituição também avalia a instalação de marca-passos (geralmente usados para insuficiência cardíaca) para combater a depressão. O procedimento tem a intenção de emitir impulsos elétricos para criar uma reação no sistema nervoso e acabar com os sintomas da depressão.

Melhoria do atendimento médico

A tecnologia também vai aliar o uso de smartphones e tablets na realização de prontuários eletrônicos. Será possível visualizar todas as informações dos pacientes por essas ferramentas, pois os dados serão acessados online.

Dessa forma, será possível verificar os medicamentos prescritos pelo médico e acompanhar no painel de checagem se eles foram aplicados no paciente. O enfermeiro terá certeza sobre a correta administração das doses e o médico poderá verificar o atendimento mesmo quando estiver em outro ambiente.

Essa troca de informações vai levar mais qualidade ao atendimento médico e hospitalar, uma vez que todos os profissionais poderão acessar os dados e esclarecer as dúvidas simultaneamente. 

Rapidez e precisão nas análises

Além dos prontuários eletrônicos, os sistemas de gestão também prometem automatizar muitas atividades médicas e hospitalares. O histórico dos pacientes será disponibilizado digitalmente e um programa de computador poderá fornecer uma sugestão de diagnóstico de acordo com determinados indicadores.

Essa transformação digital na saúde dará muito mais agilidade ao atendimento médico e precisão nas análises e prescrições de medicamentos. Com isso, o profissional da saúde terá mais segurança para trabalhar, diminuindo as chances de erros por falta de informações sobre os procedimentos adotados anteriormente.

Gerenciamento da agenda

O profissional da saúde pode controlar melhor a sua agenda, tanto em relação a sua clínica médica quanto aos horários no hospital. Isso porque algumas soluções fazem a integração das informações e auxiliam na confirmação das consultas.

A ferramenta monitora as consultas que precisam ser confirmadas. A partir disso, é feita uma ligação para o paciente. Quando ele assegurar a sua presença, a resposta é automaticamente inserida no sistema de gestão que faz a administração da agenda do profissional. Caso ele desmarque a consulta, o sistema já identifica que o horário está vago para outra pessoa.

Isso gera benefícios tanto para os profissionais da saúde, que não ficam com as agendas incompletas, como para os pacientes — que poderão ser atendidos dentro do horário estabelecido, pois há um controle mais efetivo da agenda.

Impactos positivos no diagnóstico

O uso do big data permite avaliar um grande volume de dados para encontrar características comuns em pessoas. Assim, será possível prever diagnósticos com base no perfil de pacientes com sintomas em comum.

Por exemplo: se a análise de dados identificar que os pacientes que desenvolvem câncer têm um gene de um tipo específico, será possível realizar um tratamento de prevenção mais precoce em pessoas que apresentam essa característica.

Logo, o mapeamento permitirá a identificação de alterações genéticas que são as grandes causadoras de tumores, doenças hereditárias, entre outras. Em longo prazo, isso trará um resultado positivo para a área da saúde.

Você percebeu como a transformação digital na saúde é um caminho sem volta? Saber se preparar para essa mudança é essencial, pois quem sair na frente terá maiores chances de sucesso.

Gostou deste artigo? Aproveite para conferir algumas dicas sobre como melhorar o atendimento aos pacientes!

Powered by Rock Convert

Deixar comentário.

Share This