Gerenciamento de ativos: quais são as melhores práticas em TI?
Tecnologia da Informação

Gerenciamento de ativos: quais são as melhores práticas em TI?

Escrito por Leucotron

O departamento de Tecnologia da Informação precisa manter-se constantemente atualizado, ficando por dentro dos mais recentes avanços e tendências da área e aplicando as melhores táticas e ferramentas.

Entretanto, igualmente fundamental é poder contar com um gerenciamento de ativos eficiente e estratégico. Afinal, seu papel é justamente garantir que todos os ativos envolvidos nos processos de TI sejam capazes de entregar serviços devidamente controlados.

Além disso, ele assegura que os colaboradores terão acesso às informações necessárias quanto aos ativos quando e onde for necessário, de maneira confiável, completa e íntegra.

Nesse contexto, percebe-se a importância de compreender o gerenciamento de ativos para que o departamento de TI possa fazer uso de suas melhores práticas. Mas como garantir isso? E quais são as vantagens de seguir esse caminho? Mostramos isso e muito mais no post de hoje, então, fique de olho e continue a leitura!

A importância de um gerenciamento de ativos eficiente

Investir no aprimoramento e eficiência cada vez mais fortes do gerenciamento de ativos repercute em resultados melhores, mais claros, melhores organizados e com maiores possibilidades de crescimento para a TI.

Antes de mais nada, é preciso analisar: quais são seus ativos? Dentro do departamento, o grupo pode abordar itens concretos (computadores de mesa, laptops, impressoras, dispositivos móveis etc., além de tudo o que estiver conectado à rede de internet), aplicações corporativas, contratos, bases de dados, manuais, e muito mais.

Os ativos incluem também todas — absolutamente todas! — as informações armazenadas nesses equipamentos e redes e que, de alguma forma, tenham valor para a organização. O valiosíssimo recurso humano também é imprescindível aqui.

Assim, de maneira geral, podemos estabelecer que “qualquer coisa que tenha valor para a organização” é válida e pode ser considerada um ativo relevante para o TI, como destaca a norma ABNT NBR ISO/IEC 27002.

O gerenciamento de ativos prevê que tudo o que acontece no departamento de TI, especialmente aquilo envolvendo dados, deve ser monitorado constantemente. É somente assim que a equipe poderá observar tendências, identificar falhas, aprimorar equipamentos etc.

No final, como resultado, você poderá perceber ainda inicialmente uma mudança talvez até na própria cultura organizacional do escritório. Os processos, tanto os mais específicos quanto aqueles do dia a dia, passarão a transcorrer com melhor organização, mais eficiência e mais produtividade, trazendo, assim, resultados mais interessantes.

5 dicas práticas para melhorar o gerenciamento de ativos

Agora que já mostramos um pouco mais profundamente do que consiste o gerenciamento de ativos, está na hora de, efetivamente, conhecer as 5 principais práticas consideradas excelentes e confiáveis para quem quer melhorar a gestão de ativos.

Quer descobrir quais são? Então, acompanhe e coloque a mão na massa agora mesmo!

Construa um inventário

Antes de mais nada, é fundamental entender que o gerenciamento de TI consiste em aprimorar cada vez mais a harmonia, a dinâmica e a fluidez de trabalho. Para tanto, você deve organizar um calendário oficial de acontecimentos do ano.

Sendo assim, o gerenciamento busca estabelecer um repertório desses outros itens, desde o software de TI da empresa até o hardware utilizado.

Mapeie os ativos utilizados

Agora que você já tem um banco de dados ativo, torna-se imprescindível conhecer a fundo seus clientes, seja por telefone ou pessoalmente. Será, então, o chegado momento de você construir o Configuration Management DataBase, ou “banco de dados de gerenciamento de configurações”, também conhecido apenas pela sigla CMDB.

Ele permitirá que você não apenas mapeie os ativos isoladamente, mas que encontre ligações entre todos aqueles que forem utilizados pelo TI. Dessa maneira, você abre o caminho para um gerenciamento integrado, otimizado e muito mais eficiente.

Gerencie o ciclo de vida de cada ferramenta

Cada um dos itens de software ou hardware listados no CMDB fazem parte de um ciclo que, por sua vez, atravessa diversos estágios. Estes são os responsáveis por auxiliar no controle do ciclo de vida dos ativos. O resultado é que você conseguirá usá-los melhor, aproveitando ao máximo seus recursos.

Em determinados pontos, os ativos passam de um estágio para o próximo. Quando isso acontece, o mapa deve ser atualizado com todas as novas informações: data, hora, motivo e nome de usuário que está fazendo a modificação. Assim, não restarão dúvidas.

Esse forte controle do momento pelo qual cada ativo está passando é imprescindível para que você tenha um registro atualizado e verdadeiro dos ativos. Com isso, você terá as informações necessárias para tomar melhores decisões de compra, sem correr o risco de que um ativo chegue ao final de sua vida útil sem um substituto preparado.

Colete feedbacks constantes dos colaboradores

Dentro da empresa, a equipe passa a maior parte de seus dias cumprindo suas funções e trabalhando em prol dos objetivos particulares de cada time e, também, da organização como um todo. Mas será que eles têm mais a oferecer? Com certeza!

Ao decidir investir no gerenciamento de ativos, é muito importante que você dê a liberdade para que seus colaboradores venham conversar pessoalmente com você e deem suas opiniões, críticas e sugestões.

Com isso, você não apenas provará definitivamente que é um líder motivacional e inspirador, mas também permitir que o gerenciamento de ativos seja cada vez melhor e apresente resultados exponencialmente de acordo com as expectativas da empresa.

Para que todos os processos do gerenciamento de ativos possam ocorrer como devem, é interessante que os feedbacks sejam colhidos com certa regularidade. Você pode estabelecer um determinado dia do mês para isso, e/ou abrir espaço para que eles venham lhe procurar durante seus horários de escritório.

Incentive a integração

Como deu para perceber até agora, a integração é um dos pilares necessários em um gerenciamento de ativos que promove uma rotina mais otimizada para a equipe de TI. Afinal, a estratégia realmente tem a capacidade de diminuir o tempo gasto pelos colaboradores em cada demanda e de facilitar o acesso às informações mais úteis.

Portanto, ao colocar as dicas anteriores em prática, mantenha sempre em mente a necessidade de incentivar a integração. Isso resultará em departamentos mais unidos, capazes de trabalhar de maneira dinâmica e rápida e, assim, prontos para conquistar os melhores resultados e manter a empresa sempre crescendo.

Gostou de entender melhor como e por que investir no constante aprimoramento do gerenciamento de ativos? Quer mais conteúdo para continuar fazendo sua empresa crescer cada vez mais? Então, siga-nos no Twitter, no Facebook, no LinkedIn, no YouTube e no Google+ e fique por dentro de todas as nossas dicas e novidades!

Sobre o autor

Leucotron

Deixar comentário.

Share This