Recuperação de desastres em TI: conheça o passo a passo
Tecnologia da Informação

Recuperação de desastres em TI: conheça o passo a passo

Escrito por Leucotron

Um plano de recuperação de desastres em TI tem como principal objetivo restaurar com agilidade seus dados e processos. Assim, no caso de uma falha, a interrupção das operações é minimizada. Além disso, garante a confiabilidade e a estabilidade organizacional, ao evitar que se perca informações confidenciais, fundamentais para a operação das empresas.

A principal chave para uma reestruturação de sucesso é a antecipação. Por isso, é importante que o gestor faça um planejamento detalhado, com uma documentação abrangente de atitudes que devem ser tomadas antes, durante e após o evento que causou o problema ou instabilidade no sistema.

É muito difícil prever esse tipo de situação, que pode ocorrer de maneira acidental ou proposital. Incêndios, raios, inundações, problemas no sistema operacional, hardware ou até mesmo crimes cibernéticos são as principais causas. Nesses casos, o plano de recuperação é essencial para mitigar os efeitos da falha e preservar a integridade dos dados.

Você ainda não conta com um plano de recuperação de desastres em TI na sua empresa? Então acompanhe o passo a passo para criar e adotar essa estratégia de segurança para o seu negócio. Confira!

1. Tenha conhecimento dos principais riscos

O primeiro passo para estruturar essa estratégia é identificar as principais ameaças que podem afetar a sua infraestrutura, tais como: falhas no sistema operacional, erros da sua equipe e quedas de energia. Reconhecer essas vulnerabilidades e os pontos de maior fragilidade é algo que ajuda o gestor a adotar procedimentos que aumentam a segurança dos sistemas e a determinar um curso de ação para reverter a situação.

Por exemplo, se a região na qual a sua empresa atua ocorrem inundações ou tem alto índice de queda de raios, trabalhar com dados em um único servidor interno não é uma boa ideia. Nesse tipo de situação, o mais indicado é contar com um serviço na nuvem, no qual as informações ficam alocadas em um servidor externo, totalmente protegidas contra intempéries e fenômenos da natureza.

2. Priorize o que deve ser recuperado

Para que o plano de recuperação de desastres tenha sucesso, é preciso estabelecer a ordem na qual as ações devem ser tomadas. Dessa forma, a falha gera menor impacto nas operações do negócio, principalmente se for causada por um ataque de malware.

Portanto, estabeleça quais são os serviços mais críticos para a operação da empresa (site, fabricação, e-mail entre outros) e determine a ordem de restauração e o tempo de recuperação de dados.

No entanto, deve-se analisar essa etapa de maneira detalhada e simular quais seriam as principais causas de um desastre na organização. Dessa maneira é possível descobrir quais são os recursos necessários para que o serviço esteja novamente ativo e online no menor tempo possível, mantendo a segurança das informações corporativas.

3. Escolha o tempo e o tipo de backup ideais para o seu plano de recuperação

Além de determinar o tempo, outro fator que deve ser considerado pela gestão de TI é o ponto de recuperação. Esses detalhes preparam seu negócio para enfrentar erros, quedas e falhas no sistema. Assim, há garantia que existe um backup capaz de atender às necessidades da organização e dar continuidade as suas atividades.

Por exemplo: se a sua empresa trabalha com comércio eletrônico, mas não quer perder nenhuma venda até o momento do desastre, o ponto de recuperação ideal deverá ser o último segundo no qual o site estava ativo. Outro ponto relevante é contar com um backup de dados automatizado em operação, para que suas atividades sejam restabelecidas e sua página volte a ficar online no menor espaço de tempo possível.

4. Conte com a orientação de especialistas no assunto

Nem sempre criar um plano eficiente de recuperação de desastres em TI é uma tarefa simples. Para ter êxito, é necessário analisar de forma imparcial toda sua infraestrutura disponível e a capacidade da sua equipe. Um olhar crítico ajuda a detectar riscos e vulnerabilidades antes mesmo que o desastre aconteça.

Para que todo o processo seja realizado com eficiência, uma boa opção é buscar o auxílio de especialistas no assunto, por meio de uma consultoria em TI. Desse modo, o profissional pode orientar o gestor a desenvolver um plano inteligente com o uso das soluções tecnológicas mais adequadas para a demanda do seu negócio.

5. Faça testes quantas vezes for necessário

A prática leva à perfeição. Portanto, quando o assunto é estratégia de restruturação, o mais recomendado é testar seu plano repetidamente. Afinal, ele não será totalmente confiável a menos que o gestor o verifique para posteriormente ser implantado. Ainda que a recuperação de desastres seja planejada, é preciso verificar o seu funcionamento online.

Por isso, faça os testes na íntegra. Assim, o plano pode ser alterado se algo falhar e se algum ponto passou despercebido poderá ser adicionado à versão final, que será efetivamente implementada. Mas, lembre-se: uma única simulação não é suficiente e, com a repetição, seu sistema pode ser aperfeiçoado ao longo do tempo.

6. Defina as políticas de procedimentos para a recuperação de desastres em TI

Após seguir os passos acima e garantir que o plano funcionará conforme planejado, deve-se determinar quais as funções que gestores e colaboradores devem assumir durante um desastre. Para que não ocorram problemas, cada pessoa envolvida deve ter uma função específica a fim de atuar de maneira harmoniosa com os demais funcionários. Entretanto, se alguém falhar, todo o plano será comprometido, já que a ação de um colaborador dependerá de outro.

Assim sendo, defina detalhadamente quais serão as responsabilidades de cada funcionário no caso de um desastre em TI. Faça treinamentos e simulações com todos os envolvidos de modo que a política de procedimentos seja testada e aprovada. Nessas condições, em uma situação real, os colaboradores saberão o que devem fazer com preparo e estratégia.

Ainda que a probabilidade de um desastre ocorrer no seu negócio seja incerta, esperar que o problema ocorra para corrigi-lo é um grande erro e pode comprometer a continuidade das atividades da sua empresa. Por isso, é fundamental se antecipar e contar com um plano de recuperação de desastres em TI.

Ainda que recuperar toda sua infraestrutura possa levar tempo, ele garante que todas as informações corporativas fiquem em segurança e possam ser recuperadas sem que ocorram vazamentos nem perda de dados.

Então, nosso artigo foi útil para você? Gostaria de ter acesso a mais conteúdos relevantes relacionados à qualidade e à segurança da informação? Então assine agora mesmo nossa newsletter e tenha acesso gratuito aos próximos conteúdos em primeira mão, diretamente na sua caixa de e-mail!

Deixar comentário.

Share This