medicina e tecnologia

Medicina e tecnologia: atendimento online e a segurança de dados

Ao longo dos anos, o campo da saúde passou por muitas mudanças, e um grande número delas pode ser atribuído à tecnologia. De médicos e enfermeiras fazendo anotações manuscritas a agora carregando iPads e tablets de sala em sala, a era cibernética se infiltrou em todas as áreas de nossas vidas. O uso da tecnologia no campo da saúde trouxe muitos benefícios, como a telemedicina.

Avanços significativos, como cirurgias robóticas assistidas, diagnósticos personalizados, prontuário eletrônico, impressão de órgãos 3D e IoT médica são exemplos de como medicina e tecnologia têm sido uma combinação proveitosa.

Por outro lado, todo esse avanço também trouxe novas preocupações, como a segurança de dados dos atendimentos online, e é sobre isso que falamos neste artigo. Acompanhe.

A telemedicina e os benefícios para a sociedade

De forma objetiva, quando falamos em telemedicina estamos nos referindo à prestação de serviços clínicos remotos, por meio de uma comunicação em tempo real e bidirecional entre paciente e prestador de cuidados de saúde — em meios eletrônicos áudio e visuais.

A telemedicina permite que pacientes e médicos conversem entre si remotamente, onde quer que estejam. Contanto que eles tenham acesso a uma conexão de internet suficientemente confiável . No entanto, ele oferece mais do que apenas chamadas de vídeo padrão. Médicos e pacientes podem compartilhar diferentes tipos de informações usando aplicativos de telemedicina, incluindo resultados de testes de pressão arterial e leituras de dispositivos médicos.

Existem diferentes tipos de telemedicina, algo que vale a pena ter em consideração. Existem três tipos principais em particular:

  • medicina interativa: em que pacientes e médicos se comunicam em tempo real;
  • armazenamento e encaminhamento: em que os provedores têm permissão para compartilhar informações de saúde do paciente com médicos em outros lugares;
  • monitoramento remoto de pacientes: em que dispositivos médicos móveis são usados ​​para coletar dados que são usados por cuidadores remotos para monitorar pacientes e resultados de saúde.

A medicina interativa é o tipo de telemedicina com a qual a maioria dos pacientes está familiarizada. Existem vários aplicativos móveis que eles podem usar para obter uma consulta remota com um médico.

Como mostram as estatísticas, o mercado de telessaúde está crescendo rapidamente, o que significa que a quantidade de dados pessoais transmitidos por meio de soluções de telemedicina também cresce. Assim, a questão da segurança da telemedicina está se tornando mais importante à medida que o vazamento de informações resulta em graves perdas financeiras e de reputação para os prestadores de cuidados.

A tecnologia na segurança de dados na telemedicina

Os provedores de saúde estão atendendo cada vez mais pacientes de forma remota. As plataformas de telemedicina oferecem soluções para uma ampla variedade de problemas de saúde diferentes. Isso aumenta a disponibilidade de atendimento e, ao mesmo tempo, reduz os custos para os provedores de saúde.

No entanto, a telemedicina apresenta riscos intrínsecos à privacidade e à segurança que todos os provedores devem minimizar para proteger os dados confidenciais do paciente. Vamos falar sobre alguns dos recursos que podem auxiliar nessa tarefa.

Autenticação de identidade

A autenticação contínua de identidade garante que indivíduos autorizados tenham acesso aos dados. Ela pode ser realizada por meio de uma variedade de abordagens.

A autenticação multifator, requisito que consiste em utilizar duas evidências para entrar, está entre as mais comuns e tem se mostrado eficaz no bloqueio de ataques cibernéticos automatizados. Além disso, os usuários precisam desenvolver senhas fortes e exclusivas, não apenas para suas contas de plataforma de telessaúde, mas em todos os seus logins e contas online.

Criptografia

No setor de saúde, a criptografia de dados refere-se à tradução dos dados do paciente em um formato que não pode ser descriptografado por usuários não autorizados ou usuários que não tenham uma chave de criptografia.

Mesmo se ocorrer um vazamento de dados, os ladrões recebem informações de saúde criptografadas. Por exemplo, usamos criptografia de dados para garantir a segurança da conexão de vídeo ponto a ponto entre pacientes e a equipe médica ao desenvolver versões de uma plataforma.

A criptografia é aplicada aos dados do paciente armazenados e transmitidos na rede das seguintes formas:

  • a criptografia de dados em repouso protege os dados de saúde quando são armazenados na nuvem ou no local;
  • a criptografia de dados em trânsito protege os dados quando são transmitidos usando padrões como certificados SSL/TLS.

Acesso de armazenamento seguro

Para regular quem e em que medida pode acessar os dados do paciente em uma solução de telemedicina, é fundamental o emprego de medidas como configuração de funções de usuário, autenticação de usuário, direitos de acesso, permissões de ação e logoff automático.

Assim, os pacientes e a equipe médica são designados funções diferentes que permitem adquirir apenas informações específicas e executar um conjunto limitado de ações. Por exemplo, adotar medidas semelhantes para garantir a segurança da telessaúde durante o desenvolvimento de uma solução móvel de atendimento remoto.

Assinatura digital

As assinaturas eletrônicas são um componente vital da digitalização. Em um ambiente de alto risco, como um hospital ou clínica médica, procedimentos e processos estão em vigor para proteger os pacientes e garantir que recebam o melhor tratamento possível, realizado de acordo com os mais altos padrões.

As assinaturas são necessárias para manter um registro dos tratamentos do paciente e para cobrir os profissionais de saúde em caso de disputas legais. No entanto, elas podem ajudar hospitais e provedores de saúde a atingirem sua meta de não usar papel, ao mesmo tempo que seguem os procedimentos estritos necessários em um ambiente de saúde.

Em vez de imprimir, assinar, digitalizar e arquivar a papelada necessária, as assinaturas eletrônicas permitem que os profissionais de saúde assinem documentos digitalmente, ajudando a agilizar esses processos vitais e liberando tempo para dedicar ao atendimento ao paciente.

As assinaturas digitais não só agilizam a papelada para os profissionais médicos, mas também para os pacientes. De notas de ajuste a prescrições, a digitalização tem o potencial de tornar a vida muito mais fácil para os pacientes, especialmente aqueles com deficiência ou mobilidade limitada.

Além do mais, com registros armazenados de forma mais segura e organizada, profissionais de saúde e administradores podem fornecer uma experiência mais tranquila ao paciente e se concentrar em fornecer o melhor atendimento possível.

Em resumo, para obter o melhor da combinação entre medicina e tecnologia, e alcançar a segurança dos dados de saúde do paciente, é fundamental tomar medidas como criptografia e controle de acesso aos dados, realizar auditorias de segurança regulares e garantir o monitoramento contínuo do sistema de telemedicina.

Já que estamos falando em inovação no ambiente hospitalar, continue no nosso blog e descubra outros benefícios da tecnologia para a medicina.

Quer saber mais sobre atendimento ao cliente e interações digitais?

Receba os melhores conteúdos produzidos para você gratuitamente.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.